Deságio médio do leilão de energia “A-4” é de 54,65%


Grande destaque do certame foram as usinas solares fotovoltaicas

O Leilão de Geração de Energia “A-4”, realizado no dia 18 de dezembro, resultou na contratação de 25 projetos de geração de energia elétrica, com capacidade instalada total de 675 megawatts (MW) de potência. A energia contratada, que totaliza 220,2 MW médios, irá suprir a demanda projetada de sete concessionárias de distribuição de energia elétrica para o ano de 2021.

O preço médio da energia negociada no leilão foi de R$ 144,51/MWh, alcançando um deságio médio de 54,65% com investimentos previstos da ordem de R$ 4,29 bilhões. Foram contratados projetos a partir de fontes renováveis, equivalentes a 100% da potência total negociada no leilão realizado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) na sede da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica) em São Paulo (SP).

Vinte projetos são de usinas solares fotovoltaicas, somando 790,6 MWp a um preço médio de R$ 145,68 / MWh.

Também foram contratadas duas usinas de fonte hidrelétrica, uma Central Geradora Hidrelétrica (CGH) que tem capacidade instalada limitada a 5 MW e uma Pequena Central Hidrelétrica – (PCH), que tem capacidade instalada limitada a 30 MW,  totalizando 11,5 MW, a um preço médio de R$ 181,63/ MWh. Foi contratado, também, uma usina termelétrica a biomassa (proveniente de bagaço de cana), de 25 MW, ao preço de R$ 234,92 / MWh. Também foram contratadas duas usinas eólicas, um total de 64 MW, ao preço de R$ 108,00 / MWh.

O Leilão marca a inserção da fonte solar fotovoltaica e das Centrais Geradoras Hidrelétricas para o atendimento ao mercado dos agentes de distribuição. Até então essas fontes eram contratadas como energia de reserva. A contratação de 790,6  MWp de energia solar fotovoltaica permite diversificar a matriz a partir de fonte renovável não hídrica, contribuindo para inserção da fonte na matriz elétrica, conforme compromisso assumido no Acordo de Paris.

Para fins de classificação dos lances foi considerada a Capacidade Remanescente do Sistema Interligado Nacional (SIN) para Escoamento de Geração, o que permite coordenar a expansão da transmissão com a expansão da geração, reduzindo riscos para os geradores e para os compradores, com benefícios para o planejamento, a operação e o consumidor final.

As usinas contratadas estão localizadas nos estados de Bahia (4), Espírito Santo (1), Goiás (1), Mato Grosso (1), Pernambuco (5), Piauí (8), Rio Grande do Norte (2) e São Paulo (3).

Hoje, 20 de dezembro, será realizado o Leilão de Energia Nova “A-6” de 2017, com negociação de energia proveniente de usinas hidrelétricas, eólicas e termelétricas, para atendimento da demanda de 2023.

Além dos Leilões de Energia Nova também está prevista a realização, em 22 de dezembro de 2017, de Leilões de Energia Existente “A-1” e “A-2”, de 2017, para atendimento da demanda de 2018 e 2019.

 

 

FONTE: BOLETIM INDUSTRIAL

Anterior Indústria opera com média de 68% da capacidade instalada em novembro
Próximo IEEE aponta principais tendências em equipamentos eletrônicos