Coproduto de processo siderúrgico pode ser aplicado na construção civil


Uma nova aplicação para os coprodutos da ArcelorMittal foi desenvolvida em parceria com a Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). A pesquisa feita com o apoio da empresa resultou na elaboração de um aglomerante para argamassas através da utilização da Escória de Forno Panela. Ela substitui a cal hidratada, matéria-prima não renovável. Após a comprovação da viabilidade técnica, estão sendo realizados testes para uso em escala industrial.

O projeto foi acompanhado pelo Núcleo de Coprodutos de Longos. “Esta é uma das várias frentes de trabalho que temos internamente e externamente em busca da valorização e desenvolvimento de novas aplicações para nossos coprodutos. Esta pesquisa abre caminho para reduzirmos o descarte desde resíduo, trazendo ganhos ambientais e, ainda, gerando resultados financeiros para a empresa”, ressalta o especialista de Meio Ambiente e Coprodutos da Gerência Geral de Meio Ambiente da ArcelorMittal Brasil, Sandro Almada.

Anualmente, as usinas de Longos no Brasil geram cerca de 42 mil toneladas de Escória deForno Panela.

O estudo foi publicado em julho na renomada revista Journal of Materials in Civil Engineering da American Society of Civil Engineers e é de autoria da engenheira civil Ana Luiza Borges Marinho, sob orientação do Professor Ricardo Fiorotti. O artigo é um desdobramento da dissertação de mestrado de Ana Luiza.

 

Fonte: Boletim Industrial

Previous Brasil deverá ter superávit de energia em 2017
Next Trumpf inaugura fábrica inteligente de 26 milhões de euros nos EUA